"cantarei" o que a vida me oferecer... bichos...efemérides...alegrias...raivas(!) e o que mais adiante se verá!

28
Jan 10

Coincidências: hoje vi um site sobre Dresden, cidade alemã destruída na última guerra e hoje recuperada a partir de escombros; nos últimos dias, Auschwitz  tem  sido  falado  para não ser esquecido ... 

Um mero acaso juntou sob meus olhos imagens destes factos. Horrorizada, só me ocorre 

perguntar. Como foi possível ?!

 

Recordar...para não esquecer, para não repetir !

publicado por mfssantos às 23:28

Descobri Taizé por intermédio da minha filha e de jovens seus amigos. Acompanhei-os algumas vezes , primeiro à descoberta, depois com o empenho que me era possível na altura, sempre com grande emoção nos momentos em que a música se erguia - repetitiva até ao silêncio se ouvir - e a concentração se generalizava...Os presentes eram  às centenas, mas desorganização era palavra desconhecida,,.todos participavam sem constrangimento, cada um com a sua migalha de fé , ou talvez não, não sei - mas sempre com respeito solidário .

 

Pois bem, o Porto recebe este ano o Encontro Ibérico pelo Carnaval. Sábado, dia 13 de Fevereiro, realiza-se pelas 18 horas um Forum Musical de Acolhimento na Igreja de São José das Taipas, Rua Doutor Barbosa de Castro - isto se se mantiver a informção que recolhi na net e que faço gosto em partilhar com quem costuma passar por aqui.Vamos?

 

 

publicado por mfssantos às 12:07

25
Jan 10

Porquê escrever?

           Para comunicar? Para registar? Para relembrar? Para informar? Para partilhar?...etc.

 

Cada um terá os seus motivos. Mas só escreve quem tem algo para dizer...

E, se tiver um destinatário em mente, a sua opção pelo tipo de escrita vai variar de acordo...

Isto sabemos bem por experiância própria: a lista das compras não é igual à carta de felicitações e esta não é, seguramente, a mesma coisa que um poema de amor.

 

           Vem tudo isto a propósito de textos que encontrei num blogue ,destacado pela Sapo ,de uma jovem de catorze anos, que me fez ter esperança na aprendizagem do Português nas nossas escolas.Eu explico: quando os resultados da avaliação, em termos gerais, nos deixam tão apreensivos, surge alguém provando que é possível, que não é utopia, escrever sem erros, textos com princípio, meio e fim, com conteúdo, expressando opiniões, defendendo pontos de vista...Mais: ser bom aluno em Português significa maior probabilidade de o ser também em história, geometria descritiva, aeromodelismo, ou qualquer outra matéria que implique recolha de dados, interpretação dos mesmos, sua reutilização...em vista a tirar conclusões. O ter a cabeça bem recheada de informação (não apenas de trapos, Barbies, Morangos, shoppings, Ana Montana, música dita "foleira"...)é também fundamental para poder escrever algo interessante. É que, seja embora a imaginação algo prodigioso, o conhecimento do que nos rodeia, do que dizem as notícias, do que a história nos legou...da vida, enfim, terá muito peso nas escolhas a fazer.

            Finalmente...é tudo uma questão de sensibilidade - e aqui...uns têm,outros...não. 

            A    jovem que li no "Electric Twister" (penso ser este o nome do blogue) tem, com

certeza, essa sensibilidade para a escrita. Parabéns!

        

publicado por mfssantos às 10:23

23
Jan 10

Fotografia

 

           Ouvi falar num curso de fotografia...Não é que comprei hoje mesmo uma máquina digital?Não me importava de aprender alguma coisa para a poder usar...uhm...menos mal...

É que eu só sei apontar...e disparar! Além disso, guardar fotos em albuns comuns ocupa muito espaço...o computador é mais prático.

 

          Aqui há anos, passei um inverno a organizar e guardar fotos de três gerações...Fiz sete albuns de tamanho A4... Tenho a sensação que os sei de cór...e neles encontro a história dos meus"maiores"... Durante uma dúzia de anos, fiz a história dos meus filhos, e tenho dois volumes bem "gordos", documentando o seu crescimento. Depois...perdi-me  na jornada e parei. As fotos posteriores estão em carteirinhas... mas não "contam a história", como os ditos...

 

          Será que aprenderei a " contar histórias" de forma digital? 

publicado por mfssantos às 20:22

17
Jan 10

 

Algumas das minhas amigas mostraram-se  interessadas num curso de culinária. E convidaram-me...Aí....eu torci o nariz....É que eu cozinho todos os dias,  de há uns vinte e cinco anos para cá...E até gosto de o fazer...pese embora a"obrigação" ( o que faz o desagradável da coisa...)Bem , para "compensar" a minha recusa em participar no tal curso, talvez queiram aproveitar a receita da farofa à moda da minha Avó "brasileira". Aí vai:

 

Farofa

Num tacho com o fundo coberto de bom azeite, coloque cebola picada bem miudinho, um dente de alho e uns pingos de vinagre em que estiveram demolhadas pimentinhas piri-piri.

Ponha em lume baixo e junte  cubinhos de toucinho fumado. Mexa com acolher de pau e vá deitando a farinha de mandioca, rapando sempre o fundo do tacho para ela ir alourando, até toda a gordura ser absorvida.

Já fora do lume, junte salsa picada, azeitonas pretas aos bocadinhos, ovo cozido ralado...corintos, se tiver e gostar do agri-doce...É tudo uma questão de imaginação!

 

Com este preparado a minha avó Luísa, que viveu no Brasil uns bons anos, recheava o cabrito dos dias festivos, servindo ao lado o que sobrasse , enriquecido com os "miúdos" do bicho, cortados pequeninos e refogados a preceito. Quanto a mim...limito-me a rechear o vulgar frango assado, ou o perú natalício, tendo o cuidado  de dobrar a dose, já que toda a família -  e amigos, se estão presentes - apreciam o pitéu.

 

Se experimentarem...digam como correu!

publicado por mfssantos às 12:23

14
Jan 10

 

É verdade, o clima tem andado mesmo zangado com o mundo !

           As imagens  relativas ao terramoto no Haiti são de meter medo ! Medo e dó pelas pobres criaturas em sofrimento. Irão as gentes ser capazes de ajuda rápida e eficiente?

Que poderemos fazer? Sinto-me tão inútil, tão insignificante ... Alguma ideia?

publicado por mfssantos às 19:52

13
Jan 10

Já uma vez escrevi sobre cães, escandalizada com uma notícia onde era dito que os italianos consideravam perigosa a raça portuguesa "serra da Estrela" . Perigosa? Só se tiver um dono perigoso. Pois hoje, ao passar em revista a minha lista de mensagens (infindável...), a ver se daria jeito apagar algumas, encontro um pedido da Sapo para incluir o dito texto no blog ! Tentei seguir as instruções...mas não cheguei lá...Terei que estudar a coisa...eu bem digo que preciso fazer outro curso...

 

Entretanto, outra história de cães : a nossa Pen voou! Voou?! pois como teria ela saído de um quintal todo murado? Pusemo-nos a verificar todos os cantos...e só vimos uma hipótese: ao fundo do quintal há um muro de uns dois metros de altura, onde a nossa bichinha gosta de se deitar, observando as vizinhas da frente nas suas lidas no pátio. Nem o vendaval dos últimos dias a impediu de o fazer. Não vimos, mas imaginamos, que uma rajada mais violenta a tenha deitado abaixo. Quanto medo terá tido aquela alminha canina?! O tombo , a rua vazia, a noite a chegar...que terá feito? E a família em polvorosa, a chamar, a avisar a vizinhança...e já havia lágrimas.

Cá de longe, inquieta, alcalmei as mais pequenas :" ela volta, o faro vai-a trazer, quando se sentir cansada ou tiver fome". E veio, trazida pelo neto da vizinha da frente perto da meia noite, Encontrou-a...perdida...à porta de casa! Terá aprendido a lição...?

 

É por estas e por outras que os donos de cães têm sempre histórias para contar !

 

 

publicado por mfssantos às 11:31

12
Jan 10

Tenho andado a rasgar papéis...

           Às vezes é como rasgar pedaços de uma vida ! Mas a mania de guardar tudo...chega a um ponto que se torna incómodo; até porque muita dessa papelada já não tem utilidade alguma, apenas ocupa espaço num espaço já de si pequeno. Por isso : vá lá, coragem, toca a seleccionar!

           E assim tenho aproveitado o meu tempo, nestes tempos em que não apetece pôr pé na rua. Já rasguei e mandei para a reciclagem sacos de tralha! O pior é se, sem contarmos, aparece uma foto, um bilhete, uma nota, um qualquer apontamento que nos faz recuar, reviver,sorrir...ou deixar que a emoção se imponha...

          Encontrei numa carteirinha antiga uma foto minha e de meu Pai, no terraço da Pensão Lisboa, em Montereal, onde  fazímaos termas e praia, já que a Vieira de Leiria é perto. Bons tempos de ignorância e inocência, em que os meus treze anos não tinham consciência de que a doença já lá estava...e eu corria, nadava, andava de patins ou de barco, na foz do agora tão poluído Rio Liz, e dançava à noite, no fim de jantar, com os companheiros de hospedagem. Feliz inconsciência...

          Mais recente, estava também uma foto de B.I. de um "eu" uma dúzia de anos mais novo ,corte de cabelo curto, como de costume, mas diferente, mais jovem ,menos "senhora respeitável...

         Até o filho, na tropa, farda de gala para a fotografia...E se foram tempos memoráveis (por boas e menos boas razões...) !

 

Guardar"papéis" é preciso, conveniente até, em circunstâncias várias.

Mas é bem mais complicado , chegada a hora, desfazermo-nos deles.

 

publicado por mfssantos às 14:49

10
Jan 10

Cai neve em Guimarães e um pouco por todo o país ! O tempo anda zangado com as gentes... Neve onde não é habitual, chuvas e enxurradas que estão a ser catastróficas no Brasil, e não só, incêndios e secas  na Austrália...dá que pensar. Mas dará mesmo ? quando é que o mundo vai ganhar juízo em relação às modificações climáticas...?

 

Não é que não goste de ver a neve, assim bem quentinha, por dentro dos meus vidros duplos e de uma sala aquecida...Mas... nada mais. Nem mesmo desportos de Inverno - muito bons para os outros...

É que me lembro sempre daquele susto, há  já anos, em que o autocarro em viajávamos, vindos de Taizé, se imobilizou em plenos Alpes pelas duas da manhã, congelados todos os líquidos que o moviam e mantinham aquecido ! Até sermos socorridos e postos a salvo numa estação de serviço da auto-estrada...vivemos umas três horas de muito medo !

 

Mas a paisagem era um espanto ! Lá isso era, não tenham dúvidas.Ao longe, a neve é uma beleza.

publicado por mfssantos às 12:46

05
Jan 10

        Do Oriente vieram os Magos para adorar o Menino . E trouxeram presentes.

                                                                                                                                                                

Muitas manifestações evocam este acontecimento. Entre nós, o mais comum é "ir cantar  os Reis". A primeira lembrança que guardo desta celebração remonta aos meus sete anos e relembra Vinhais onde, à época, o meu Pai era magistrado. De porta em porta , grupos afinados cantavam:

                                    Quem vos vem cantar os Reis

                                     De noite, pelo escuro,

                                     Certo é que vos quer bem -

                                     O amor obriga a tudo.

 

                                                                      Quem vos vem cantar os Reis

                                                                       Na folhinha do arroz ?

                                                                       Vivam os donos desta casa

                                                                       Por muitos anos e "bôs".

 

Na minha aldeia não é costume ir cantar os Reis. Cantar "as Janeiras"  é mais conhecido, em especial desde a divulgação  da canção de  Zeca Afonso.

A ideia de presentear alguém em sinal de estima, honra  e admiração , inspirada neste facto bíblico é, seguramente, o mais cativante aspecto simbólico de um presente.

publicado por mfssantos às 12:24

Janeiro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

11
15
16

18
19
20
21
22

24
26
27
29
30

31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO