"cantarei" o que a vida me oferecer... bichos...efemérides...alegrias...raivas(!) e o que mais adiante se verá!

23
Set 09

O meu neto mais velho fez 18 anos, atingiu a maioridade!

 

           Dou comigo a comparar- me com ele, quando tinha  a mesma idade...Como os tempos foram mudando! E, de facto, eu já podia gabar -me de ter uma Mãe bem "para a frente"...Mal fiz 18 anos, foi emancipar - me, para poder tirar carta de condução e, assim, usufruir das vantagens de ter carro -o Hilman de 48 do meu Pai - numa época em que a linha da Lousã não funcionava   meia dúzia de vezes ao dia...Hoje, tem combóios de hora a hora e fala-se de metropolitano para breve...

          Com a idade deste neto, saí pela primeira vez para o estrangeiro na companhia de uma amiga pouco mais velha que eu. Corremos mundo durante um mês. E que experiência! Quanta aprendizagem! Quantas aulas poderiam substituir a informação histórica e geográfica, as idas a museus,ao teatro, à ópera....o contacto com as pessoas, as línguas...Foi aqui que o meu inglês desenferrujou...o meu alemão foi posto à prova...e os dois juntos me permitiram "adivinhar" o que diziam os holandeses, embora não lhes soubesse responder na sua língua...

         Aos 18, quantos sonhos, quanto entusiasmo, quanta generosidade! Nada metia medo, nada era obstáculo, tudo teria soluçao! Aos poucos, a concretização do muito que

a imaginação propunha foi-se concretizando...E , naquelas vezes em que a vida nos pregou uma partida...forças que nos vêm, nem sabemos bem donde, nos ajudaram a manter a cabeça erguida e coninuar a sonhar.

 

         Que a vida te sorria sempre e nunca as forças te faltem para lutar por justiça,viver a beleza e actuar humildemente com generosidade, meu querido Neto!

publicado por mfssantos às 08:39

14
Set 09

Pois é.

A esta hora o meu neto mais velho está a matricular-se em Belas Artes, no Porto.

Dezoito, vírgula, setenta e cinco...Com esta nota, fez a sua escolha...

Que seja feliz. Para isso nos dá Deus o dom da vida: ser feliz e fazer outros felizes à nossa volta.

publicado por mfssantos às 12:55

No meu  tempo de aluna...havia.

E continuou a haver no meu tempo de professora. Quem tinha nota de 12, numa escala de 0 a 20, a todas as disciplinas (e eram muitas...) ,ia para o"Quadro de Honra". E este era afixado na portaria da Escola, para conhecimento público.

 

Depois...

Depois, veio a democratização do ensino. Como tudo, com vantagens e inconvenientes. Entretanto,os quadros de honra desapareceram. Diziam alguns que eram humilhantes para aqueles alunos com menos facilidades de apoio familiar ou deficiente enquadramento social...Quem sabe? Talvez. Mas tive alunos excelentes de origens modestas. Daí que...não sei. Sei que algumas escolas, hoje em dia, (ou serão mesmo todas?) recuperaram o Diploma De Mérito, o Quadro de Honra, enfim, um qualquer instrumento que assinale o êxito de quem cumpre. Não vejo que, daí, venha algum mal ao mundo. Ao contrário, penso que é preciso premiar quem cumpre a sua obrigação.Claro,  uns fazem mais, outros menos esforço, cada um luta com as armas que a Natureza, Deus, lhe deu. Mas, se cumpriu, merece o nosso apreço.

 

É por isso que hoje comecei o dia particularmente feliz : a minha neta foi premiada pelos bons resultados do seu trabalho. Ela e um grupo bem jeitoso de colegas seus.

Vivam os bons alunos e os seus Mestres!

 

publicado por mfssantos às 12:19

11
Set 09

É um jardim a esmo.

Glicínias de cachinhos roxos,roseiras de vermelho perfumado e "lírios cor de rosa", cujo verdadeiro nome desconheço...todas estas plantas datam da construção da casa...

Mal chego, logo me envolvo nas podas e nas regas, espreitando o rasgar da terra pelos caules grossos dos bolbos ,a criar a partir do final de Agosto. E, um dia, o milagre acontece: lá estão eles, hoje um centímetro, amanhã três ou quatro, um pé, uma flor em botão, uma corola de copos cor de rosa e perfume intenso!  Em breve todo o quintal estará povoado deles, uma alegria.Setembro é o auge. E, quando começam a murchar, ao ritmo dos dias de Outono que já vem...também a alegria de Verão fenece e se vai apagando no crepúsculo...

Assim é a vida.

publicado por mfssantos às 11:07

09
Set 09

Estação de Campanhã, algures no Verão de 2008.

 

"Olha o Sr. Raul Solnado! Que prazer em poder cumprimentá-lo e agradecer todos os momentos especiais que sempre nos proporciona com a sua arte!"

 

Assim falou ela.

"Esta é a minha neta. Veio ao Norte passar uns dias com a avó reformada. "

Sorridente, com certeza habituado a ser reconhecido na rua, estendeu a mão, cumprimentou e agradeceu com simplicidade.

 

Um grande senhor, faleceu faz hoje um mês, pelas 11 da manhã.

Não será esquecido. É património de todos nós.

publicado por mfssantos às 21:25

08
Set 09

Fim de tarde na varanda. A minha "sombra" não desiste. Deitada a meus pés, tentando mordiscar-me as mãos abandonadas a esmo, ela é a minha companhia, fiel como só um cão sabe ser...Em breve será escuro, os dias decrescem a olhos vivos, disso se dá conta mesmo sem querer.É a lei da vida que ,também ela, é cada dia mais curta.Só a mágoa não pára de crescer. Valham-me aquelas mensagens, vindas lá do fundo de Portugal "Avó, tenho tantas saudades tuas!"

publicado por mfssantos às 15:54

Sim. A minha sombra.Ela, a minha bichinha.

Carente, colada aos meus pés,ensarilhando-se-me nas pernas, segue-me por todo o lado,casa dentro, casa fóra, do fogão para o lava-louça, da mesa para o cadeirão, da sala para o terraço, do jardim para a escada da entrada...não se desapega de quem lhe substituiu a mãe, quando, aos três meses, foi retirada da ninhada, para vir coabitar nesta nova família.

Que se passará naquela cabeça, encimada por um par de orelhas em pé, um olhar vivo atento ao mais pequeno ruído, ao mais insignificante movimento? "Fiel como um cão" - é verdade.

publicado por mfssantos às 15:43

Um qualquer programa de Tv  convidou os espectadores a participar na divulgação da "grande figura da minha terra".

Com estas palavras no ouvido e a ideia na cabeça,interroguei-me "quem mencionaria eu?"

 

Não quereria eu repetir-me, dizendo o que toda a gente sabe, referindo os três lutadores pela fundação da freguesia, até porque um deles era meu Avô...Muito menos falaria de meu Pai, juiz probo e qualificado, elogiado não só pela qualidade técnica com que fundamentava as suas decisões, mas também pelo humanismo e bom senso que nelas punha.

Quem salientar, então,desta aldeia serrana de parcos recursos, em que, no passado, a maioria servia meia dúzia de privilegiados?

Mas não é de passado que gostaria de falar. Ou , melhor, gostaria de referir um passado mais próximo, post   25  de  Abril, já que me ocorre, não uma figura em especial, mas um grupo alargado, filhos e netos dos que "iam à lenha" no verão de Agosto, para alimentar a fogueira no Inverno; das mulheres que acarretavam, à cabeça, grandes fardos de feijoeiros ou cestas de maçarocas de milho, quando "o senhor", ou o vizinho, não disponibilizavam os bois amarelos de grandes chifres para puxar a carrada até à eira; das moças garbosas que iam  à fonte do ribeiro e, em cântaros bojudos, transportavam a água para os usos domésticos; dos "cachopos" descalços que, com bolas de trapos, travavam desafios no chão do terreiro...não, destes, não... sim dos descendentes de todos estes, que foram à luta, deixaram os bons ares da serra pela cidade grande, imigrantes em França ou na Suíça, servindo, mais uma vez, bons e maus patrões...porém vendo o seu esforço premiado no retorno económico...

.E uma mentalidade nova se vai construindo: mandam os filhos à escola, do infantário à universidade e, no regresso à "terrinha", constroem casas, lavram a leira, plantam árvores...

 

Estas são as "personalidades ilustres" da minha aldeia que mencionaria com orgulho, eu que faço parte do tal grupo de privilegiados doutros tempos, que hoje deixaram de o ser. Felizmente.

publicado por mfssantos às 09:15

"Sinos! Há quanto tempo não ouvia esse sino!"

 

O som, captado pelo telemóvel, levou ao menino a recordação daquele local de felicidade infantil.

E os olhos da avó ficaram baços, a imagem daquele neto brincando no jardim perante si, ali, só e com saudades...

 

4-8-09

publicado por mfssantos às 09:10

Após as férias de Agosto, sem computador...sinto necesidade de registar notas que fiz, manuscritas, acerca das pequenas coisas que foram acontecendo...É este "vício" de pensar, reflectir, registar...nem sei bem para quê, para quem...enfim, partilhar. Por isso...aqui vão as minhas impressões deste Agosto.

publicado por mfssantos às 09:00

Setembro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
12

13
15
16
17
18
19

20
21
22
24
25
26

27
28
29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO